Brincar

O ser humano nasce e cresce com a necessidade de brincar, sendo uma das atividades mais importantes na vida do indivíduo. Por meio das brincadeiras, sabe-se que a criança trabalha as suas potencialidades, limitações, habilidades sociais, afetivas, cognitivas e físicas.

O brincar, segundo pesquisadores, é uma necessidade que todas as crianças têm. É, também, uma atividade que faz parte do seu quotidiano, é uma forma de comunicação e expressão, associando o pensamento e a ação; um ato instintivo voluntário; uma atividade exploratória, que auxilia as crianças no seu desenvolvimento físico, mental, emocional e social; um meio de aprender a viver, e não um mero passatempo. Durante as brincadeiras, a criança desenvolve o exercício da fantasia e da imaginação, adquirindo, assim, experiências que irão contribuir para a vida adulta, experimentando inúmeras sensações que poderão ser usadas na vida quotidiana. Ao brincar, a criança pensa, reflete e organiza-se internamente para aprender aquilo que ela quer, precisa e necessita.

O tempo de brincar traz sempre lembranças de família, dos amigos e do espaço em que brincávamos, pois a brincadeira é o protagonista da nossa infância. Provavelmente, um dos espaços onde brincava era a rua, mas com o crescimento das cidades, a violência e o aumento da procura tecnológica, muitas formas de brincar acabaram por ficar mais difíceis.

Sendo assim, brincar está presente nos diversos momentos de aprendizagem, no recreio, quando as crianças podem brincar e explorar o seu corpo da maneira que melhor lhes convêm e, também, nas aulas de Educação Física, em que são preparadas atividades que possibilitem explorar o corpo com maior autonomia, criando consciência para as suas atividades diárias através dos jogos e brincadeiras, deixando, assim, os alunos mais preparados corporalmente e, consequentemente, mais concentrados para as demais aulas e para o dia-a-dia.