Sistema Nervoso

O sistema nervoso é a parte do organismo que transmite sinais entre as suas diferentes partes e coordena as suas ações voluntárias e involuntárias. O  tecido nervoso surge com os vermes, à cerca de 550 a 600 milhões de anos atrás. Na maioria das espécies animais, constitui-se de duas partes principais: o sistema nervoso central (SNC) e o periférico (SNP).

O sistema central é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal. Todas as partes do encéfalo e da medula estão envolvidas por três membranas de tecido conjuntivo – as meninges. O encéfalo, principal centro de controle, é constituído pelo cérebro, cerebelo, tálamo, hipotálamo e bulbo.

O SNP constitui-se principalmente de nervos, que são feixes de axônios que ligam o SNC a todas as outras partes do corpo. O SNP inclui: neurónios motores, mediando o movimento voluntário; o sistema nervoso autónomo, compreendendo o sistema nervoso simpático e o parassimpático, que regulam as funções involuntárias; e o entérico, que controla o aparelho digestivo.

Um exame microscópico mostra que os nervos consistem principalmente de axônios de neurónios, juntamente com uma variedade de membranas que os envolvem, segregando-os em fascículos de nervos . Os neurónios que dão origem aos nervos não ficam inteiramente dentro dos próprios nervos – os seus corpos celulares residem no cérebro, medula central, ou gânglios periféricos.

Todos os animais mais avançados do que as esponjas possuem sistema nervoso. No entanto, mesmo as esponjas, animais unicelulares, e não animais como micetozoários, têm mecanismos de sinalização célula a célula que são precursores dos neurónios. Em animais radialmente simétricos, como as alforrecas, o sistema nervoso consiste numa rede difusa de células isoladas. Em animais bilaterianos, que compõem a grande maioria das espécies existentes, o seu sistema tem uma estrutura comum que se originou no início do período Cambriano, à mais de 500 milhões de anos atrás.